Pirenópolis

Pirenópolis

Localização

Localização
Pirenópolis-GO - Elaboração: Eula Regia Sena Santos

Espécies Pioneiras

"Espécies que se desenvolvem em clareiras, nas bordas da floresta ou em locais abertos, sendo claramente dependente de condições de maior luminosidade, não ocorrendo, em geral no sub-bosque." Fonte: GANDOLFI, S et al. Estudo florístico e caráter sucessional das espécies arbustivo arbóreas de uma floresta mesófila semidecidual no munícipio de Guarulho, SP. Revista Brasileira de Biologia 55 (4) 753-767. São Paulo, 1995.

Eceses

Numa sucessão ecológica, comunidades pioneiras também chamadas de eceses são comunidades biológicas geralmente formadas por líquens, musgos ou gramíneas, que conseguem sobreviver em ambientes inóspitos, em condições adversas e que acabam modificando o substrato, permitindo o desenvolvimento de outras espécies.
Por exemplo, na superfície de uma rocha nua, poucos seres vivos conseguiriam sobreviver. Alguns seres, como os líquens, podem instalar-se sobre ela, produzindo ácidos que lentamente corroem a rocha, iniciando a formação do solo. A partir de então, as condições do local deixam de ser tão desfavoráveis, possibilitando o desenvolvimento de outras comunidades.

Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ecese

Sucessão Ecológica

As sucessões ecológicas representam o conjunto de mudanças ordenadas pelas quais passa uma comunidade biológica, detendo ao estágio de clímax. Uma característica preponderante para o estabelecimento das sucessões é a condição abiótica favorável dos ambientes. Contudo, existem regiões da litosfera que a princípio são inóspitos ao surgimento, desenvolvimento e manutenção de organismos vivos, por exemplo, superfícies recentes de rochas vulcânicas ou a extensão de dunas nos desertos. Porém, algumas espécies são capazes de habitar determinados locais por mais drásticas intempéries, sendo denominadas de espécies pioneiras, com destaque a muitas variedades de liquens (associação de algas e fungos), os musgos (briófitas) e as gramíneas (capim). Durante o processo de colonização, as comunidades pioneiras promovem transformações que possibilitam uma ordenada inserção ou mesmo a substituição de espécies que irão povoar um meio anteriormente inabitável, tornando-o propício e gradativamente mais dinâmico, situação caracterizada por ecese. As alterações normalmente ocorrem por ação do intemperismo, fenômenos físicos, químicos e biológicos correlacionados durante o tempo geológico, colaborando com a formação de um substrato superficial, que ao longo da evolução permitiu a irradiação da flora acompanhada pela fauna, sendo: - o escoamento e a infiltração da água em fissuras rochosas, fatores que causaram em conseqüência das oscilações térmicas (aquecimento e resfriamento), mudanças no estado físico da água (solidificação), com efeito na dilatação e fracionamento das rochas; - Efeito gravitacional, ação dos ventos e altitude, motivadores da percolação das rochas morro abaixo; - Ação enzimática dos liquens degradando as rochas, produzindo substâncias minerais (fonte de nutriente), parte é absorvida enquanto a outra forma depósitos sedimentares. Portanto, as sucessões ecológicas são evolutivamente denominadas: primárias quando ocorrem em lugares nunca antes habitados (uma rocha nua), e secundárias quando ocorrem em um lugar anteriormente habitado (um campo de cultivo abandonado). Uma tendência que tende ao clímax ecológico.

Fonte: http://www.brasilescola.com/biologia/sucessoes-ecologica.htm

Fitofisonomias da Área de Estudo

O Cerrado de Pirenópolis é muito significativo. A região está situada dentro do bioma com mesmo nome. O Cerrado é o segundo maior bioma do país em área, superado apenas pela floresta Amazônica abrange aproximadamente 1.750.000 km², correspondendo a cerca de 20% do território nacional. Possuindo flora característica e diferenciada dos biomas adjacentes, a flora do Cerrado se destaca pelo alto índice de diversidade. Fitofisionomias... A rica diversidade do Cerrado permite sua divisão em 11 tipos de fitofisionomias (fito= planta; fisionomia= forma). Enquadrados em formações florestais (Mata Ciliar, Mata de Galeria, Mata Seca e Cerradão), savânicas (Cerrado senso restrito, Parque de cerrado, Palmeral e Vereda) e campestres (Campo Sujo, Campo Rupestre e Campo Limpo). Na região de Pirenópolis podemos encontar praticamente todas fitofisonomias citadas com forte presença de Campos rupestres. Durante a época de seca os dias são ensolarados, fazendo com que a vegetação rasteira seque progressivamente, favorecendo a ocorrência de grandes queimadas. A Distribuição da flora no cerradoAlém de elementos do clima, da química e física do solo, da geomorfologia, topografia ,da disponibilidade de água e nutrientes a distribuição da flora no cerrado é condicionada pela latitude, frequência de queimadas, profundidade do lençol freático, pastejo e inúmeros fatores antrópicos que em muitas vezes são fruto da exploração imediatista do homem visando fins econômicos.
Fonte: http://www.pirenopolis.com.br/

Rio das Almas

Rio das Almas

Mata de Galeria

Floresta de galeria ("mata" de galeria) são as formações florestais que não perdem as folhas durante a estação seca e acompanham os rios de pequeno porte e córregos. As copas das árvores encontram-se sobre as águas, formando corredores fechados. A altura média do estrato arbóreo situa-se entre 20 e 30m, apresentando superposição de copas, fornecendo uma cobertura vegetal entre 70 e 95% (geralmente, é uma região rica em lantas epífitas, como as orquídeas). A profundidade do solo é bastante variável, porém é rico em matéria orgânica. Entre as plantas aqui encontradas, podemos citar: pindaíba, marinheiro, oiti, pau-de-tucano, palmiteiro, entre muitas outras.
Observação: a grande diferença entre a mata ciliar e a de galeria está na deciduidade de suas árvores, ou seja, na época da seca é comum suas árvores perderem as folhas. Como nem todas as árvores perdem as folhas (caducifólias), o aspecto final da floresta ciliar é semidecídua.

FONTE:
Franco, José Maria V. Et al. Cerrado Brasileiro, São Paulo, Harbra, 2004.

Morro Cabeludo

Morro Cabeludo
http://www.pirenopolis.tur.br

Veredas

Também conhecidas com várzea ou várgem. São pequenos cursos e nascentes d'águas, que circundados por campos ou cerrados ralos, possuem uma vegetação hidrida em torno destes córregos, marcada pela presença de palmeiras, como buritis, e espécies de mata e de campo.
Fonte: http://www.pirenopolis.tur.br

Cerrado

Loading...

Pequi, o fruto do Cerrado

Loading...

Vegetação Florestal Cerradão

Vegetação Florestal Cerradão
Fonte: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/

Cerradão

Nos cerradões agregam-se as linhas de matas e matas de galeria. O cerradão é a uma formação florestal do bioma cerrado com características esclerofilas (grande ocorrência de órgãos vegetais rijos, principalmente folhas) e xeromórficas (com características como folhas reduzidas, suculência, pilosidade densa ou com cutícula grossa que permitem conservar água e, portanto, suportar condições de seca). Caracteriza-se pela presença preferencial de espécies que ocorrem no Cerrado sentido restrito e também por espécies de florestas, particularmente as da mata seca semidecídua e da mata de galeria não-Inundável. Do ponto de vista fisionômico é uma floresta, mas floristicamente se assemelha mais ao cerrado sentido restrito. É um tipo mais denso de vegetação.

sexta-feira, 25 de abril de 2008

The Teacher: espírito aventureiro!

The Teacher: espírito aventureiro!
Esse de amarelo aí

Analistas Ambientais - UFG 2008

Analistas Ambientais - UFG 2008
Pirenópolis - Goiás

Observando a Natureza

Observando a Natureza
Giuliano

e-mail

e-mail